Assim como a produção industrial sofre rápidas transformações, o evento da Internet das Coisas (IoT) nas fábricas traz uma vasta gama de mudanças e melhorias em termos de manutenção e na gestão da saúde dos ativos.

Os gestores industriais, engenheiros e técnicos deverão estar aptos a absorver estas novas tecnologias de operação, manutenção e monitoramento de ativos, conseguindo gerir e concatenar as informações a fim de canalizar os esforços para obter grandes resultados no que diz respeito à detecção de problemas, evitando falhas catastróficas e suas consequências em termos de perda de produção, propagação da falha e elevação dos custos.

Decisões bem embasadas, guiadas por medições rápidas e precisas, antes da manutenção, reparo ou alteração na operação, significam importantes reduções de custos, melhoria na operação e produtividade, além da redução de riscos operacionais e ambientais.

No conceito de melhores práticas, inspeções, monitoramentos e análises de falha, são os pilares da eficiência da engenharia de confiabilidade, reduzindo manutenções não planejadas, tempo de reparação, substituição de intervenções preventivas em favor da manutenção baseada na condição, disparada através de alterações de parâmetros monitorados.

Para isso os gestores industriais devem ter acesso a:

  • Dados coletados, segregados por interesses e tendências;
  • Parâmetros chave monitorados e as indicações de possíveis falhas;
  • Ordens de serviço geradas e planejadas para correções e as não atendidas;
  • Histórico de parâmetros por máquina;
  • Alarmes recebidos e suas tratativas.

 

O momento e a Indústria 4.0

Em universo estimado de 1 milhão de indústrias no mundo todo, 70% tem mais de 20 anos de existência. Cada planta possui um número expressivo de ativos não monitorados, em contraste com as melhores práticas que apontam para um patamar de 80% de máquinas monitoradas e, mais importante, no mínimo 7 de 8 ativos críticos não são monitorados ou não tem um monitoramento adequado em termos de técnicas, variáveis, parâmetros e frequências.

Ao extrapolarmos, podemos verificar que milhões de máquinas ainda não são adequadamente monitoradas, o que significa bilhões em custo que poderia ser evitado.

Com esse advento tecnológico, chamado indústria 4.0, agora tornamos factível, aumentar sobremaneira o parque monitorado e a competitividade industrial, através dos benefícios advindos da correta aplicação dessa tecnologia.

Preenchendo as lacunas

O retorno sobre investimento (ROI) e os benefícios de um programa de confiabilidade e manutenção baseada em condição, já são conhecidos a décadas. Porém, recentemente, estão sendo trazidas tecnologias capazes de dar maior acessibilidade e novas possibilidades de monitoramento, como por exemplo os sensores wireless e os softwares de gestão à vista, capazes de traduzir essa imensa massa de dados em planos de ação.

Um sistema de confiabilidade na manutenção, nos dias de hoje, deve ser capaz de dar suporte à geração, coleta e consolidação de dados recebidos de sensores wireless, ferramentas handheld, como smartphones ou tablets e integrar com os sistemas de monitoramento remoto já existentes. Os dados devem ser apresentados de forma que os gestores, técnicos, engenheiros e planejadores possam otimizar seu trabalho, integrando estas informações em suas rotinas, balizando a tomada de decisão estratégica.

Manutenção conectada

Se o acesso a dispositivos inteligentes, como os smartphones, forem disponibilizados e integrados com os dados de sensores wireless, todas as informações trazidas por esses sensores estarão disponíveis para estudos rápidos e tomada de decisão seguras. Estas informações poderão ser cruzadas entre si, performando um rico diretório para estudos, permitindo associar grandezas que interagem entre si, como por exemplo: temperatura, vibração, corrente elétrica, velocidade, ângulo, posição, cor, pressão, nível e vazão.

O Monitoramento da condição e a ordem de serviço

Existe uma grande variedade de sistemas de gestão de ativos e sistemas de monitoramento da condição no mercado, cada qual com sua tecnologia e suas estrutura de banco de dados, porém é preciso de uma ferramenta de software capaz de integrar os sensores, as técnicas de monitoramento e os recursos disponíveis e traduzir em ordens de serviço, além de rastrear a execução e permitir visualizar a qualidade da execução através da mensuração de retrabalho.

Portanto a escolha da plataforma decisória é fundamental, de forma a integrar os sistemas na planta e converter em dados capazes de fomentar a gestão por resultados.

Software com integração total

Outra parte importante é a integração que deve ser promovida pelo software de gestão de manutenção, com os sistemas supervisórios nativos da planta, o sistema ERP e os demais softwares especialistas que permitam extrair dados e históricos, é particularmente interessante trazer os dados de lubrificação das máquinas para essa integração. Essa mesma integração acaba por influenciar a tomada de dados até mesmo da gestão de suprimentos, onde serviços e reposição de spare parts podem ser acionados por uma condição atingida no monitoramento.

Implementando a diferença

Integrar tecnologias de monitoramento da condição (técnicas preditivas) ao rol de atividades da manutenção de ativos, pode começar com a adoção de um simples sensor, o uso de técnicas de termografia por câmeras e softwares especialistas, monitoramento online e offline de vibrações, dando a equipe de confiabilidade capacidades de ir gradativamente alçando patamares maiores em termos de tecnologias preditivas.

A expectativa

Em um espaço de tempo relativamente curto, e em tempo real, as equipes e gestores ligados à manutenção poderão associar os dados coletados de diversas fontes, como sensores e sistemas supervisórios, agregando expertise e assertividade às ordens de serviço. As intervenções também passam a ser mais assertivas, o controle de estoques da manutenção deixará de fazer aquisições de emergência e as paradas não planejadas tenderão a zero.

Junto a tudo isso, o benefício de exercer as atividades de forma segura, mapeando os lock-out´s e tag-out´s de forma correta e associando procedimentos a cada intervenção.

Retorno obtido com o monitoramento de condição de máquinas

A Semapi dispõe de todo portfólio de tecnologia para colocar sua manutenção na era 4.0. Desde os sensores wireless, passando pelo sistema de gestão de manutenção com análise online da condição do equipamento, até sua integração com um sistema de suprimentos capaz de automatizar sua gestão de peças de reposição. Fale com um consultor Semapi e entenda como podemos colocar sua manutenção em outro patamar de automação e inteligência.

 

Contribuição do nosso consultor técnico Sérgio Soares.